ARARIPINA

ARARIPINA

GOVERNO PE

SQS

SQS

HMSM 50 ANOS

HMSM 50 ANOS

O BLOG NO FACEBOOK

terça-feira, 8 de agosto de 2017

OROCÓ - IGREJA DO SERTÃO DE PERNAMBUCO SERÁ TOMBADA

Mais um patrimônio histórico de Pernambuco terá sua preservação garantida. A Secretaria de Cultura do Estado abriu o processo de tombamento da Igreja de São Félix, localizada no distrito de Ilha de São Félix, no município de Orocó (Sertão do São Francisco, a 565 quilômetros do Recife). Datado de meados do século 17, o templo vinha sendo alvo, nos últimos anos, de campanhas populares que visavam arrecadar fundos para preservar sua estrutura. O procedimento de proteção inclui ainda o cemitério anexo e o cruzeiro com cruz em madeira.

De acordo com a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), a iniciativa decorre em razão do valor histórico e arquitetônico de tipologia religiosa da igreja e de seus chamados haveres integrados.

Construída em alvenaria de pedra por frades capuchinhos missionários franceses e índios da tribo Cariri Trucá, na então denominada ilha dos Cavalos ou ilha da Missão, a Igreja de São Félix tem um estilo considerado eclético. Possui uma nave única e em suas paredes laterais há quatro nichos em dois níveis e dois altares. O acesso à capela-mor se dá por meio de arco pleno com cercadura e adornos em massa. Traz ainda fachada simples em linhas retas, frontão com laterais em volutas e única porta de acesso em arco pleno, ladeado por dois pequenos nichos em forma de secteiras, um óculo cego e uma torre lateral, ao fundo, em alvenaria de tijolo, que lembra o plano funcional da Igreja de Nossa Senhora do Ó, em Sorobabel, município de Itacuruba, também no Sertão do São Francisco.

Em sua tese “Arqueologia no Médio São Francisco: Indígenas, Vaqueiros e Missionários”, a doutora em história Jacionira Coêlho Silva coloca a Igreja de São Félix como exemplo de “edificações-testemunho”, que são templos localizados em sedes missioneiras, construídos para durar todo o sempre, e em torno dos quais se assentaram currais e fazendas que absorveram a população nativa sobrevivente das guerras dando origem a núcleos populacionais que resistiriam ao tempo.

Dado seu estado de detererioração, em 2013, a União Cultural Orocoense e a Paróquia de São Sebastião desenvolveram uma campanha para arrecadação de fundos visando à recuperação do teto do templo, que havia desabado no ano anterior. A medida surtiu efeito e, no fim de 2014, a igreja já contava com uma nova cobertura.

De acordo com a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, com o deferimento pelo secretário Estadual de Cultura, Marcelino Granja, do pedido de tombamento solicitado pela Prefeitura de Orocó, tem início a análise do processo. “Vamos fazer um levantamento do caso e depois enviar o resultado para o Conselho Estadual de Cultura para ser distribuído para o relator”, explicou a gestora.

Da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário: