ARARIPINA

ARARIPINA

GOVERNO PERNAMBUCO

FLOCÃO NOVO MILHO

ALIANÇA

SQS

SQS

BANNER DAVID

BANNER DAVID

HMSM 50 ANOS

HMSM 50 ANOS

O BLOG NO FACEBOOK

quarta-feira, 13 de abril de 2016

IMPEACHMENT - VOTAÇÃO COMEÇARÁ ÀS 14:00 DO DOMINGO - VEJA COMO SERÁ O RITUAL


Os líderes partidários da Câmara dos Deputados decidiram parte do rito de votação do relatório do impeachment da presidente Dilma Rousseff, aprovado nesta segunda-feira (11) pela Comissão Especial. A partir das 14h do próximo domingo (17), os deputados começarão a votar.

A sessão será aberta com a fala dos líderes e, logo em seguida, começa o encaminhamento da votação, quando será aberta a votação e a orientação de bancadas. Nessa fase, os líderes terão um minuto para orientar os deputados.

LEIA TAMBÉM:




Segundo a Folha de S.Paulo, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), manifestou a aliados que começará a chamada nominal dos deputados pela região Sul, deixando os deputados do Nordeste e do Norte para o final.

Os deputados estão estudando uma solução técnica para que a declaração do voto ocorra em 10 segundos. O presidente da Câmara dos Deputados também vota.

A expectativa é de que o resultado seja conhecido entre as 21h e 22h.

Sexta e sábado

O processo começará nesta sexta-feira (15), a partir das 8h55. Depois da abertura da sessão, serão destinados 25 minutos para os autores da denúncia contra a presidente, por crime de responsabilidade, e mais 25 minutos para a defesa. Logo após, cada partido terá uma hora para falar, tempo que será dividido por até cinco parlamentares.

LEIA TAMBÉM:



Das 9h até as 11h da sexta-feira, os deputados vão poder se inscrever individualmente para falar a favor e contra o impeachment na sessão do sábado, que começa às 11 horas.

Os líderes, com tempo proporcional ao tamanho da bancada, vão poder falar em qualquer momento da sessão durante os três dias destinados à votação do processo de impeachment.

No sábado, a sessão começa às 11h e falarão todos os inscritos na sexta-feira.

*Com informações da Câmara Notícias e da Folha de S.Paulo

Nenhum comentário: