ARARIPINA

ARARIPINA

GOVERNO PE

SQS

SQS

HMSM 50 ANOS

HMSM 50 ANOS

O BLOG NO FACEBOOK

terça-feira, 19 de abril de 2016

DOCUMENTO - PERNAMBUCO LEVARÁ 30 PROPOSTAS PARA A 2ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL

  
Terminou na última quinta-feira (14/04), na Ilha de Itamaracá (PE), a 2ª Conferência de Assistência Técnica e Extensão Rural de Pernambuco. Com o lema “Ater, agroecologia e alimentos saudáveis”, a 2ª CEATER reuniu cerca de 300 pessoas, entre delegados/as estaduais representando a sociedade civil e o poder público, além de convidados/as do governo e da área acadêmica ligados/as ao mundo rural.

A solenidade de abertura foi marcada por falas de representantes dos governosfederal e estadual, da juventude rural, dos povos indígenas e movimento de mulheres. Para o presidente do Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável de Pernambuco (CDRS-PE), Edésio Medeiros, a 2ª CEATER traz o peso da responsabilidade para todos os atores políticos envolvidos. “Pernambuco mais uma vez mostrou o seu compromisso com o desenvolvimento rural sustentável, contribuindo para promover ações prioritárias para universalização da ATER pública e de qualidade para as famílias agricultoras”, destaca.
Após a mesa de abertura, foi feita a leitura, ajustes e aprovação do regulamento da conferência. No período da tarde o painel temático “Ater, agroecologia e alimentos saudáveis”contou com a participação do assessor da Federação Nacional dos Trabalhadores da Assistência e Setor Público Agrícola do Brasil (Faser), Jorge Tavares e da representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrícia Melo. 

“A base da extensão rural é a agroecologia. Nesse sentido, uma assistência técnica de qualidade precisa considerar as especificidades das populações rurais, combinando o saber dos/as agricultores/as familiares com o conhecimento acadêmico. Não é uma extensão que chega com o pacote pronto nas comunidades rurais”, afirma Tavares, que também é professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco.
Ainda no primeiro dia, os participantes se dividiram em grupos de trabalho para debater os três eixos temáticos: Sistema Nacional de ATER – Fortalecimento Institucional, Estruturação, Gestão, Financiamento e Participação Social; ATER e Políticas Públicas para Agricultura Familiar e Formação e Construção de Conhecimentos na ATER. Os grupos também puderam discutir considerando os eixos transversais: ATER para as Mulheres Rurais; ATER para Juventude Rural e ATER para Povos e Comunidades Tradicionais.

O último dia da 2ª CEATER começou com as apresentações, debate, ajustes e aprovação das moções e proposições em plenária, a partir das propostas sistematizadas pelos grupos no dia anterior. Logo em seguida, representantes da sociedade civil e governo formaram grupos para escolher os/as delegados/as para 2ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (CNATER). Na ocasião, foram eleitos/as 24 delegados/as. Na delegação está também o jovem de 27 anos,Lusivan Lino, indígena da Aldeia Fulni-ô, da cidade de Águas Belas.
“Vou para 2ª CNATER com o sentimento de defesa de uma ATER específica para os povos e comunidades tradicionais. Sempre que estudo sobre isso, vejo que ainda estamos distantes de alcançar essa ATER voltada para nossa realidade. Por outro lado, vejo que as políticas públicas ainda são ineficientes, porque não há uma articulação desse conjunto de políticas para o nosso povo”, resume o jovem.

No encerramento da 2ª CEATER, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária do estado, Nilton Mota, reforçou a importância e a dimensão política da conferência. “No Brasil inteiro a pauta da ATER nos processos das conferências vem mostrando sua força e em Pernambuco tivemos a oportunidade de debater e construir propostas que irão dialogar com a nossa agricultura familiar. Dessa forma, o esforço do governo e das organizações sociais é no sentido de priorizar uma assistência técnica de qualidade para as famílias rurais”, finaliza o secretário.
A 2ª Conferência de Assistência Técnica e Extensão Rural de Pernambuco é uma iniciativa realizada pela Secretaria da Agricultura e Reforma Agrária, Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), Delegacia Federal do MDA em Pernambuco (DF/MDA) e Fórum dos Colegiados Territoriais em Pernambuco.

30 propostas seguirão rumo a Brasília/DF

A delegação de Pernambuco levará na bagagem para 2ª CNATER, prevista para acontecer no final de maio, em Brasília, um documento com propostas relacionadas aos eixos que foram trabalhados pelos participantes da 2ª CEATER. Entre elas, uma se destaca: criação e implantaçãode um Sistema Nacional de ATER que considere o histórico das famílias e a unidade produtiva familiar, aproveitando as experiências bem sucedidas; adotando um modelo inter, multidisciplinar e continuado, com recorte territorial que viabilize a transição produtiva agroecológica e com gestão compartilhada, incluindo as entidades de organizações populares, entidades públicas, privadas e representativas da agricultura familiar, seguindo critérios e normas estabelecidas e padronizadas em nível nacional. Além disso, deve-se criar mecanismo de monitoramento, onde o sistema de ATER tenha vinculação que oriente e fiscalize os estados e municípios, a fim de qualificar e universalizar os serviços de ATER, fazendo cumprir a lei de Política Nacional de Assistência Técnica (PNATER). 

Por Mariana Landim – Assessoria de Comunicação do Chapada/2ª CEATER

Nenhum comentário: